terça-feira, 5 de março de 2013



Um verdadeiro hino americano? Não! “Born In The USA” não é uma canção patriótica e está na lista de sucessos que são erroneamente interpretados. Ela é faixa título do maior álbum da carreira de Bruce Springsteen, que também já foi eleito o melhor disco de rock da história, de acordo com uma pesquisa da BBC, ficando na frente de bandas como Dire Straits, Nirvana, The Clash, Beatles, U2 e Led Zeppelin.


Lançado em 1984, o disco já vendeu mais de 18 milhões de cópias mundo afora e traz outros clássicos como “Glory Days”, “Dancing In The Dark”, “My Hometown”. Nas músicas, Springsteen compartilha com os fãs sentimentos sobre seus relacionamentos, amores, frustrações e recordações de sua infância. Mas o grande destaque é, inegavelmente, “Born In The USA”.


Ela fala sobre a Guerra do Vietnã, os problemas que os veteranos encontravam na volta para a América, fazendo uma crítica no momento em que os Estados Unidos hasteavam sua bandeira como a grande pátria do planeta. Bruce conseguiu fazer uma definição americana da década de 1980, deixando explícita uma visão que preza os direitos humanos, causas humanitárias e que lamenta as guerras.

“Born In The USA” não escapou de interpretações equivocadas. Foi vista por muitos como uma exaltação aos Estados Unidos, como um nacionalismo reacionário. Porém, apesar de tais olhares sobre o sentido da canção, Bruce foi um músico que teve coragem suficiente para tocar na ferida do governo estadunidense no período pós-guerra, sem temer qualquer tipo de represálias. Springsteen fez jus ao seu papel de ícone da música mundial. Entretanto, a música ainda foi utilizada para fazer politicagem. Ela foi citada nos discursos de campanha do ex-presidente americano Ronald Reagan.

A capa do álbum merece destaque, já que, além de povoar a mente de mulheres do mundo inteiro há quase 30 anos, existem algumas curiosidades e mitos envolvendo tal foto. Ela é simplesmente um recorte de Bruce posicionado na frente de uma bandeira norte americana, num estilo “trabalhador braçal” e o boné homenageia um amigo do astro. Os republicanos patrióticos disseram que Bruce estaria urinando na bandeira, o que foi desmentido por ele. É a velha história: cada um interpreta como quer, não é?

Para encerrar, deixo vocês com o vídeo da canção:





1 comentários:

  1. Não conhecia a teoria do 'urinar na bandeira'... cada coisa!!!

    ResponderExcluir

1 - Comentários com conteúdo ofensivo não serão aceitos

2 - Para denunciar algum comentário hostil, clique em "relatar" que ele será avaliado

Seguidores